A ANAB – Associação Nacional de Administradoras de Benefícios, representada por sua superintendente executiva Andrea Ferreira Santos, participou do CONAREC-2019, que adveio nos dias 10 e 11 de setembro no Hotel Transamérica em São Paulo.

O tema painel do CONAREC foi a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, sendo mediado por Camila Mod Zabisky, legal and compliance director da Teleperformance.

Entre outros assuntos também foram abordados a viabilidade de atendimentos através de URA com sucesso de até 91% essa metodologia foi aplicada pelo Carrefour, nas retenções dos clientes. Além disso assuntos como a importância do “ouvir”, tanto para os colaboradores como para os consumidores, a importância do pós-consumidor e por fim o caminho do Brasil para próxima década, foi o assunto abordado pela Amil, Bradesco e Via varejo.

O foco maior foi a LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor a partir do 16 de agosto de 2020, este tópico tem acarretado preocupação ao orbe coorporativo, pois o mercado passa por um processo de adaptação a nova norma que certamente irá impactar no relacionamento entre empresas e consumidores.

O evento teve participação de Juliana Pereira, Diretora Executiva de clientes da Qualicorp e ex-secretária nacional do Consumidor, que em suas colocações destaca que o Brasil possui certo anacronismo com relação a norma em comento e ainda destacou a importância de recriar processos internos nas empresas, ou seja, o “ privacy by desing “ destaca ainda, que este processo vai demandar a dedicação dos colaboradores devido a morosidade de sua implementação, avulta também sob o  atraso do Brasil com relação a nova norma e aproveita como exemplo o Paraguai que já possui esta norma de 2010, o que demonstra que o país teve uma defasagem colossal.

A Privacy by Design tende a salvaguardar a privacidade e dados pessoais, em todos os projetos desenvolvidos, de modo que, não seria permitido desenvolver nenhum projeto, produto ou serviço, sem a proteção da privacidade esteja no centro desse desenvolvimento. Essa é uma fonte de inspiração para as empresas incorporarem a privacidade entre seus valores e empregarem o discurso também na prática como um diferencial capaz de reforçar seu compromisso com a ética e transparência.

Renato Opice Blum, professor coordenador dos cursos, de proteção de dados e direito digital – INSPER, trouxe a divulgação de um dado muito importante, segundo a  pesquisa realizada pelo Serasa, somente 15% das empresas brasileiras estão preparadas para atender os requisitos da LGPD em agosto de 2020, um dado preocupante, pois a não observância da norma pode gerar multas consideráveis com percentual de 2% sobre o faturamento ou 50 milhões de reais por infração.

Para Vanessa Butalla, da Serasa Experian é necessário que as autoridades assumam um papel de orientadora inicialmente e a seguir comecem aplicar as multas, segundo ela isso se faz necessário para que a lei possa atingir o seu objetivo principal, que é a proteção aos consumidores.

Os participantes do painel manifestaram a sua preocupação sobre a adesão à lei até o ano de 2020, bem como destacaram que o papel da autoridade nacional de proteção de dados será primordial para o processo de transição da lei.

A ANAB ratifica a relevância da participação das Administradoras de Benefícios em todos os eventos relacionados ao setor, contribuindo sempre para o fortalecimento destas no mercado de saúde suplementar.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 ANAB

Fazer login com suas credenciais