O conhecimento tecnológico aplicado ao setor da saúde foi o tema central do Estadão Summit Saúde 2019, que aconteceu nesta última quinta-feira, 22, em São Paulo. O encontro levou ao hotel Maksoud Plaza os maiores nomes em inovação e tecnologia, empresas, médicos e profissionais do setor, discutindo os temas considerados mais urgentes do segmento.

A Associação Nacional das Administradoras de Benefícios, a Anab, teve a honra de ser uma das patrocinadoras desse evento considerado o maior e mais importante do país, no tocante à área da saúde.

Representado pelo seu presidente, Alessandro Acayaba de Toledo, o papel das Administradoras de Benefícios foi, novamente, enaltecido por serem responsáveis por identificarem situações em que sejam essenciais ajustes e correções para afastarem abusos contra os beneficiários desse setor.

Nesse sentido, Alessandro ficou encarregado pelo Speech Inicial do Summit para dar as boas-vindas aos participantes e, do mesmo modo, trouxe grandes ensinamentos durante o seu discurso ao percorrer os principais marcos históricos e regulatórios dos planos de saúde no Brasil.

Em seguida, o José Henrique Germann Ferreira – Secretário de Estado da Saúde de São Paulo – fez uma belíssima apresentação, seguida pelas indagações e questionamentos feitos por Fabio Latuf Gandour – PhD em Ciências da Computação e trabalhou na IBM de 1990 a 2018, atingindo o posto de Cientista-chefe do laboratório da IBM Research Division no Brasil.

Após essa magnífica abertura, o evento foi dividido em painéis temáticos, todos pautados pela inovação e tecnologia para a saúde suplementar no Brasil e no mundo.

 

Painel 1 – O que esperar da Telemedicina no Brasil

Com a tentativa de regulamentação pelo CFM de práticas como teleconsulta e telecirurgia e posterior revogação da resolução por causa de críticas da comunidade médica, como ficará o cenário de Telemedicina no Brasil tanto para os pacientes quanto para médicos e empresas de saúde? A ideia desse painel é discutir os benefícios e riscos dessa prática, as mudanças necessárias na estrutura de hospitais e clínicas para que os teleatendimentos sejam possíveis e as oportunidades de negócios para empresas de saúde que atuam nesse mercado ou que queiram passar a oferecer produtos para o setor.

Este Painel contou com a presença dos ilustres:

Aldemir Soares – Conselheiro federal efetivo na gestão 2009-2014 e 2014-2019, onde coordena as Câmaras Técnicas de Diagnóstico por Imagem e Informática em Saúde do CFM e é membro da Comissão Mista de Especialidade AMB-CFM-CNRM.

Caio Soares – Médico formado na Faculdade de Medicina da USP, especialista em Gestão de Sistemas de Saúde pela FMUSP, especialista em Bioética pela Faculdade de Medicina da USP, especialista em Gestão de Catastrofes pela Harvard Medical School, MBA no IESE – Barcelona, ex-Diretor Médico da Omint e desde 2015 a frente da Teladoc no Brasil.

Cesar Biselli – Médico formado pela Universidade de São Paulo, com especialização em Terapia Intensiva e Cuidados Paliativos. Desde 2017, Dr. Cesar é líder da área de Telemedicina do Hospital Sírio-Libanês.

Mario Jorge Tsuchiya – Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de SP. Com mais de 40 anos de profissão, atua como médico perito da Previdência Social e do Instituto Médico Legal. Ocupou a presidência da Associação dos Médicos Peritos da Previdência Social do Estado de São Paulo. É formado pela Faculdade de Medicina da USP, onde também atua como professor colaborador.

 

Painel 2 –10 anos da nova regulamentação dos planos coletivos

O que mudou para o consumidor depois das Resoluções Normativas 195 e 196, de 14 de julho de 2009. Este Painel contou , exclusivamente, com o patrocínio da ANAB e reuniu a presença dos ilustres:

Alessandro Acayaba – Presidente da Associação Nacional das Administradoras de Benefícios, membro titular do escritório de advocacia Acayaba Advogados e Coordenador do Núcleo de Direito da Saúde Suplementar da Escola Superior da Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil.

José Luiz Gomes do Amaral – Presidente da Associação Paulista de Medicina e Presidente da Academia de Medicina de São Paulo. Membro Titular da Academia Nacional de Medicina e Professor Titular da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Medicina Intensiva do Departamento de Cirurgia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Leandro Fonseca – Economista graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com especialização em Finanças Corporativas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e mestrado em Regulação pela London School of Economics and Political Science (LSE), do Reino Unido.

Ricardo Villas Bôas Cueva – Graduado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), mestre em Direito (LL.M.),  pela Harvard Law School (EUA), doutor em Direito pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Foi advogado militante, procurador do Estado de São Paulo, procurador da Fazenda Nacional e Conselheiro do Conselho Administrativo da Defesa Econômica (CADE).

 

Painel 3 – Os desafios de inovar em saúde em um país diverso e desigual como o Brasil

Ao mesmo tempo em que o País tenta regulamentar a telemedicina e passa a usar de forma mais robusta inteligência artificial, machine learning e outras tecnologias na área da Saúde, milhões de brasileiros não têm acesso a atendimento básico, centenas de unidades de saúde não têm conexão com a internet e os sistemas de saúde público e privado sofrem com a insuficiência de recursos.

Nesse contexto, como garantir que as novas tecnologias cheguem ao maior número de pessoas possível? Como driblar o problema de infraestrutura de falta de conexão no País? E como o SUS e as operadoras de planos de saúde custearão a implantação das novas tecnologias com os já escassos recursos ou, no caso dos planos, com uma margem de lucro decrescente?

Este Painel contou com a presença dos ilustres:

Alexandre Chiavegatto Filho – Possui graduação em Economia pela USP, doutorado direto em Saúde Pública pela USP e pós-doutorado na Universidade de Harvard. É professor Livre Docente da Faculdade de Saúde Pública da USP na área de estatísticas de saúde e machine learning.

Luiz Gustavo Kiatake – É membro do HL7Brasil, IHE e HIMSS, colaborador no processo de Certificação de Software SBIS/CFM, representante no Comitê de Padronização do TISS (COPISS) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e Presidente da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde (SBIS).

Mauro Junqueira – Atual presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), cargo que ocupa desde agosto de 2015. Formado em ciências contábeis, está envolvido há anos na luta pela defesa do movimento municipalista.

Tatsuo Suzuki – Graduação em Engenharia Mecânica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica -ITA (1975) e mestrado em Engenharia Biomedica pela COPPETEC , possui mais de 40 anos de experiência na área de Engenharia Biomédica, com ênfase em Fundamentos Gerais de Projetos de Equipamentos Médicos.

 

Painel 4 – Reinventando a atenção primária à saúde

No momento em que o País vive uma transição demográfica e epidemiológica, com mais idosos e o aumento de doenças crônicas, os sistemas público e privado de saúde estão sendo obrigados a olhar novamente para a atenção primária à saúde.

Como ampliar o acesso à atenção primária na rede pública com a falta de médicos em áreas pobres? E no sistema privado, o que as operadoras e os hospitais estão fazendo para trabalhar também prevenção e promoção da saúde, e não somente tratamento para doenças já instaladas? Aproveitamos também para falar sobre o desafio de lidar com o envelhecimento da população.

Este Painel contou com a presença dos ilustres:

Daniel Knupp – Médico de Família e Comunidade, graduado pela Universidade Federal de Minas Gerais, residência em MFC pelo Hospital Municipal Odilon Behrens e mestre em epidemiologia pela Fiocruz/MG.

Paulo Andrade Lotufo – Professor Titular de Clínica da Faculdade de Medicina, Investigador do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-BRASIL), Diretor Científico da Associação Paulista de Medicina e Membro da International Hundredk + Cohorts Consortium.

Rodrigo Aguiar – Servidor público de carreira da ANS desde 2007 e diretor de Desenvolvimento Setorial desde 08/09/2017, Rodrigo Aguiar é graduado em Direito pelo Centro Universitário da Cidade (RJ), possui pós-graduação em Direito Público pela Universidade Cândido Mendes (RJ) e MBA Executivo em Gestão de Negócios pelo IBMEC (RJ).

Sidney Klajner – Cirurgião do Aparelho Digestivo, possui graduação em Medicina e Mestrado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, residência médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, fellow of American College of Surgeons.

 

Painel 5 – Voltando ao básico: na era da tecnologia, empatia e comunicação com o paciente viram desafio

Super computador que dá diagnóstico, robô que opera, software que prevê risco de doenças. Todas essas tecnologias já existem e estão disponíveis no Brasil, mas, na era das inovações tecnológicas, pacientes reclamam da má qualidade da comunicação com o médico. Nesse sentido, algumas escolas médicas, hospitais e profissionais de saúde estão apostando em questões que deveriam ser básicas na profissão: comunicação e empatia com o paciente.

Este Painel contou com a presença dos ilustres:

Carlos Marinelli – É bacharel e mestre pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV), com extensão pela Universidade do Texas em Austin (EUA) e ESADE Business School (Barcelona). Sua formação também inclui educação executiva da London Business School, INSEAD e Harvard. Carlos Marinelli trabalhou na Unilever, Grupo Promon e Grupo Pão de Açúcar antes de ingressar na Companhia.

Fábio Leme Ortega – Graduação, Residência Médica de Cirurgia Geral e Urologia, Doutorado – na Faculdade de Medicina da USP. Especialização em Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica na França e Estados Unidos.

Luiz Vicente Figueira de Mello – Médico Psiquiatra, Pesquisador, Supervisor do Programa de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria HCFMUSP.

 

Painel 6 – Medicina baseada em valor: como avançar nos novos modelos de remuneração

É antiga a discussão de que o modelo de remuneração fee-for-service é ruim para o paciente e prejudica a sustentabilidade do sistema. Mas o que já está sendo feito para que os novos modelos de remuneração, especialmente o fee-for-value, seja uma realidade adotada pela maior parte dos prestadores de serviço?

Este Painel contou com a presença dos ilustres:

Antonio Antonietto – Médico especialista em Medicina Geral e Comunitária, especialista também em Saúde Pública, e em Administração Hospitalar e de Serviços de Saúde pela FGV, Presidente da Comissão de Práticas Médicas do Icesp, Fellow do Colégio Brasileiro de Executivos da Saúde – CBEXs e Diretor Médico do Hospital Vila Nova Star – Rede D’Or.

Ary Ribeiro – Gestor de Serviços de Saúde há 17 anos, na Clínica São Vicente e Hospital Pró-Cardíaco (RJ) e Sociedade Beneficente Israelita Albert Einstein (SP). Atual Superintendente Comercial e de Serviços Ambulatoriais do Hospital do Coração (SP). Médico Especialista em Cardiologia e Fisiologia Clínica, Suécia e PhD em Ciências Médicas pelo Instituto Karolinska, Estocolmo, Suécia.

Vera Valente – A advogada e engenheira Vera Valente é Diretora Executiva da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), desde maio de 2019. Nos últimos 20 anos, a executiva ocupou posições de liderança no governo federal, em empresas e associações de indústrias do setor de saúde.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2019 ANAB

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?