A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou a nova edição (setembro) do Boletim Covid-19 com maiores informações sobre todos os dados relacionados à pandemia da Covid-19 obtidos pelo setor de saúde suplementar. Como principal informação inicial do Boletim Covid-19, nota-se que o número de beneficiários não sofreu uma queda, na verdade, teve um breve aumento e se estabilizou em 48,4 milhões de vínculos com planos de assistência médica.

Destaca-se que os dados obtidos para formação do Boletim são divulgados mensalmente por meio da coleta de indicadores assistenciais e econômico-financeiros do mês passado em relação ao mês de sua divulgação. O atual Boletim apresenta uma prévia do número de beneficiários em agosto, além das demais demandas relacionadas à pandemia registradas pela ANS em seus canais de atendimento.

Para melhor explicação sobre o informativo, de início nota-se que o número de beneficiários em planos de assistência médica teve um acréscimo de 0,17% em relação ao mês anterior, totalizando 48.446.444 usuários.

Em relação às informações assistenciais, houve uma redução exponencial no número de leitos alocados exclusivamente para atendimento aos pacientes vítimas da Covid-19. Por sua vez, a taxa geral de ocupação de leitos não teve alterações em relação ao mês de julho, se mantendo em 70% em agosto, inclusive um número abaixo dos 72% de agosto de 2019, período pré-pandemia.

Nesse sentido, a ocupação de leitos de UTI, para atendimento à Covid-19, apresentou uma redução de 2 pontos percentuais em relação a julho, já para os leitos comuns, houve um acréscimo de 6 pontos percentuais.

Referente aos exames necessários para detecção da Covid-19, o Boletim apresenta que em junho houve uma realização total de 434.501 exames do tipo RT-PCR e 50.247 exames sorológicos para identificação do vírus presente no organismo.

Já as informações econômico-financeiras o boletim apresenta uma queda do índice de sinistralidade, ficando em 80% no mês de agosto. Por outro lado, como fruto da boa administração da Agência e das operadoras existentes, nota-se uma redução no valor de inadimplência de planos com preço preestabelecido se comparado com o mês anterior.

De acordo com os dados das centrais de atendimento, destaca-se 769 reclamações no mês e 811 reclamações em julho de 2021. Em relação aos temas gerais voltados à Covid-19, observa-se um total de 18.307 reclamações. Tal número considera todos os relatos apresentados pelos consumidores, que cadastraram queixas na ANS, sem observância do mérito de eventual infração da operadora.

Por fim, para análise dos dados assistenciais houve uma coleta de 50 operadoras que possuem rede própria hospitalar, para os dados econômico-financeiros foram analisadas 105 operadoras e as demais informações foram obtidas por meio dos documentos necessários que divulgam tais dados.

Tags:
0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

©2021 ANAB

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?