Em 14 de setembro de 2016, a ANAB – Associação Nacional das Administradoras de Benefícios, representada por sua assessora, a advogada Lidiane Mazzoni, participou da Reunião do Grupo Técnico de Regulação promovido pela ANS, no auditório da Confederação Nacional do Comércio – CNC, no Rio de Janeiro.

A Diretora de Desenvolvimento Setorial – DIDES/ANS, Martha Oliveira, abriu os trabalhos expondo sobre “Panorama dos Modelos de Remuneração e Diretrizes Gerais para a Implementação de Modelos Alternativos”, destacando que o tema foi trazido à tona em vários outros grupos desenvolvidos pela ANS, o que suscitou a criação de grupo próprio para o debate. Contudo, enfatizou que a Agência não tem governabilidade sobre a remuneração, podendo tão somente indicar formas e instrumentos para mudar os modelos, sendo a aplicação conforme o plano estratégico de cada operadora, até porque um novo modelo de remuneração pede um novo modelo de assistência.

Ela apresentou os modelos de remuneração levantados pelo órgão regulador, considerando as peculiaridades de cada um deles. Ainda, destacou que o mais importante no momento é a mudança de acesso para qualidade como o principal valor a ser entregue na saúde.

Em seguida, Sérgio Adriano L. Bersan, Superintendente de Provimento de Saúde na Unimed-BH, contou sobre a experiência da cooperativa com a implementação de modelos alternativos de pagamento e a preocupação da entrega de valor ao beneficiário. Foi estruturado um sistema de responsabilidades compartilhadas, focado em segurança, transparência da informação e cuidado do paciente. Além disso, foram criados selos de qualidade para os prestadores, com métodos de avaliação que consideram três dimensões: satisfação do cliente, estrutura e acesso  e a eficiência técnica, o que possibilitou a qualificação da rede.

Expôs também sobre os atributos de pagamento, que englobam dimensões ponderadas entre si (segurança, certificação, desempenho, acesso, conformidade normativa). Foram aplicados incentivos adicionais para os prestadores mais eficientes e os que apresentaram maior evolução nos períodos de análise. Tais informações, aliadas à transparência, possibilitou melhor qualidade na escolha dos beneficiários sobre o prestador.

A última exposição foi de Ronaldo Munk, Presidente da Rio Saúde, sobre modelos inovadores na Gestão de Saúde. A Rio Saúde é uma iniciativa para agregar soluções de gestão para ao SUS. Para ele, a gestão baseada em informação melhora o resultado a ser entregue ao usuário. Demonstrou a execução do modelo 3×3, com três pilares (estratégia, cultura e ferramentas) e três ações para cada um deles, modelo de simples compreensão o que facilita sua aplicação no dia-a-dia.  Pontuou ainda que a gestão sempre tem como base os indicadores, com verificação mensal para correção imediata de eventuais anormalidades. As ações representaram melhora significativa na prestação do serviço de saúde e satisfação do usuário, com repercussão inclusive na mídia internacional.

Ao final, foram abertos os debates, quando Martha Oliveira propôs o debate sobre qual produto será entregue pelo grupo, o papel de cada ator dentro do modelo de mudança, bem como ações e cronograma. A proposta é encerramento dos trabalhos do grupo no prazo máximo de três meses. As apresentações realizadas estão disponíveis no site da ANS e poderão ser acessadas pelo link https://goo.gl/TOk4DZ .

Por envolverem questões de gestão de saúde e impactos na precificação dos planos de saúde, as administradoras de benefícios devem estar atentas aos apontamentos do grupo. Além disso, na sua função de orientação dos consumidores quanto às melhores práticas na saúde suplementar, as ponderações acerca de indicação da qualidade dos serviços prestados são de grande valia para as associadas.

A ANAB continua atenta e presente nos debates que envolvem assuntos de interesse do setor e manterá suas associadas informadas de temas referentes à saúde suplementar. 

©2019 ANAB

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?