Nos dias 22 e 23 de outubro de 2018, a Associação Nacional das Administradoras de Benefícios (ANAB), representada por sua Superintendente Executiva, Andréa Ferreira dos Santos, e por sua advogada, Patricia Vieira Brasileiro, prestigiou o 4º Fórum da Saúde Suplementar, promovido pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (FENASAÚDE), no Rio de Janeiro.

O evento foi composto por palestras de autoridades nacionais e internacionais, abordando temas como: Dilemas da assistência à saúde no mundo; Economia e saúde no cenário brasileiro; Como fortalecer a Atenção Primária à Saúde (APS) nos planos de saúde; O crescimento dos custos em saúde e o futuro da informação.

Na solenidade de abertura, a Presidente da FENASAÚDE, Solange Beatriz Palheiro Mendes, ressaltou que “uma importante missão desta Federação é a de disseminar informação. Sem informação qualificada, empresas e consumidores não poderão tomar decisões acertadas, nem exercer com segurança seu poder de escolha”. Solange complementou, ainda, que “a progressão dos custos assistenciais não é explicada apenas por fatores populacionais, como o acentuado envelhecimento ora em curso no Brasil. Eles são fruto também da ausência de coordenação da longa cadeia produtiva do setor, que vai desde a indústria de fármacos e a distribuição de insumos até a prestação dos próprios serviços médicos”.

Posteriormente, Leandro Fonseca da Silva, Diretor-Presidente Substituto da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), acrescentou que o cuidado com a saúde deve trazer valor às pessoas e que, à medida que todos os elos da cadeia colocarem o beneficiário no centro do sistema, será possível mudar a dinâmica atual.    

Para Gilberto Occhi, Ministro de Estado da Saúde, os temas tratados neste evento, dizem respeito não apenas à saúde suplementar, mas também à saúde pública brasileira. Ele pontuou, ainda, que existem 160 milhões de brasileiros que utilizam exclusivamente o Sistema Único de Saúde (SUS) e que de 2008 a 2018 os investimentos do Governo Federal passaram de 54 bilhões para 130 bilhões de reais.

No segundo dia de evento, Luís Roberto Barroso, Ministro do Supremo Tribunal Federal, falou sobre o momento institucional brasileiro, abordando alguns aspectos relevantes da saúde suplementar, assim como do momento atual do país e das transformações que estão acontecendo no mundo. O Ministro ponderou que “apesar das dificuldades e da fotografia sombria do momento, nós estamos passando por um processo inevitável e profundo de transformação para melhor no Brasil”. Ele ainda complementou dizendo que fazemos parte de “um país que se descobriu aquém do seu destino e que já tem a dimensão de que alguns valores se perderam e precisam ser recuperados na ética pública, na ética privada, na reponsabilidade fiscal e no compromisso com projetos redistributivos de renda, para que o país se torne mais inclusivo”.

Logo após, João Manoel Pinho de Mello, Secretário de Promoção da Produtividade e Advocacia da Concorrência do Ministério da Fazenda, palestrou sobre o crescimento dos custos em saúde. João Manoel pontuou que o aumento dos planos de saúde decorre tanto de fatores exógenos – como o envelhecimento da população, introdução de novas tecnologias e de medicamentos mais caros – como de fatores endógenos – como o desalinhamento de incentivos dos prestadores de serviço, pouca atenção à saúde primária, do lucro excessivo e da ineficiência operacional das Operadoras.

Ao final dos dois dias de palestras e debates, Solange Beatriz Palheiro Mendes apresentou as conclusões do evento e a agenda da FENASAÚDE para o ano de 2019.

A ANAB, como entidade representativa, ratifica a importância da participação das Administradoras de Benefícios em todos os eventos do setor, contribuindo sempre para o fortalecimento destas no mercado de saúde suplementar.

©2019 ANAB

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?